Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 21.05.06
DESCOBRIR - Sugiro esta semana alguma ronda por blogs recentes e bem interessantes. Começo pelo novo de Paulo Pinto Mascarenhas, o director da revista «Atlântico», autor do «abcdoppm». Humor, espírito de observação e uma despretenciosa crónica do quotidiano podem ser por lá encontrados. O jornalista Pedro Boucherie Mendes regressa também às lides bloguísticas c om o «Aos 35», muito pessoal, a escolher boas citações, com um fino sentido de humor. Finalmente recomenda-se também vivamente o menos novo mas sempre muito polémico «Esplanar», de Carlos Leone e João Pedro George (este último muito divulgado por causa das críticas aos livros de Margarida Rebelo Pinto). E se querem uma visão diferente da política espreitem o «Bloguitica», de Paulo Gorjão. Com persistência e apurado sentido crítico, o seu autor escolhe citações, recolhe posições e depois junta-as em raciocínios que fazem sentido. Têm os links aqui ao lado.


LER- «Desperate Networks» de Bill Carter é um livro fundamental para todos os que se interessam por televisão. Foi agora editado nos Estados Unidos (é para isto que a Amazon serve…) e analisa as profundas transformações surgidas na época mais conturbada da história da TV, precisamente estes doze últimos anos. Neste período, nos Estados Unidos, as audiências das quatro grandes cadeias nacionais caíram de 72 para 46 por cento, o peso dos canais de cabo independentes como a HBO aumentou e surgiram novos tipos de programas (como os reality-shows), que perturbaram completamente as tradicionais grelhas de programas – da mesma forma que a evolução tecnológica veio permitir ver o que se quer quando se deseja e não quando o programador estabelece – é o que acontece com os downloads de episódios para iPod’s. O livro é muito baseado na realidade americana, é muito documentado mas para nós tem um interesse acrescido: é que muito do que Cárter agora analisa e já acontece nos Estados Unidos, há-de estar a chegar à Europa muito em breve. «Desperate Networks», editado pela Doubleday.


OUVIR - Sérgio Mendes foi dos primeiros músicos brasileiros oriundos da Bossa Nova a fazer carreira nos Estados Unidos – foi para lá em 1966 e agora, quarenta anos depois, faz um disco que propõe novas abordagens a êxitos como «Mas Que Nada», «Berimbau», «Lamento», «E Menina», «Bananeira» ou n«Samba da Bênção». O curioso é que o produtor do disco é Wil. I. Am. Dos Black Eyed Peas – que aliás participam no disco ao lado de nomes como Erykah Badu, Q-Tip, Jill Scott, Mr. Vegas ou Justin Timberlake. Simplesmente irresistível – aliás a publicidade já pegou na versão dos Black Eyed Peas para «Mas Que Nada», que já anda aí em spots relacionados com o Mundial. «Timeless», Sérgio Mendes, CD Concord, distribuído por Universal Music.


COMIDAS – Aqui deixo o meu protesto contra a falta de cardápio de verão decente nos restaurantes deste país. Abundam as sardinhas com pimentos (que são deliciosas, diga-se), mas faltam boas saladas, alternativas leves para um almoço. É raro o sítio onde se consegue encontrar uma salada elaborada que sirva de prato principal. Se estiverem desesperados e procurarem ideias para saladas, visitem a secção respectiva no site www.petiscos.com, um dos melhores locais da rede com receitas em português.


BACK TO BASICS - As pequenas economias têm que ser virtuosas, devem pensar nos outros, naqueles com quem se têm que relacionar, não podem ser egoístas e pensarem apenas em si próprias (F.R.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:19



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D