Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por falcao, em 20.11.05
A SICIALIZAÇÃO DO PAÍS

Há uma semelhança entre o cinema e a política. Para se conseguir sucesso tem que se ter um argumento credível e bons protagonistas. Um mau argumento pode dar cabo de uma boa história, erro na escolha das figuras principais pode demolir um projecto que parecia bom. Digam lá se o caso português não está cheio de situações destas, quer no Governo, quer na oposição?

Do lider da oposição esperar-se-ía que já tivesse perguntado ao Presidente da Republica se não acha que as tensões na área da justiça, da polícia, das forças armadas, dos professores e na Função Pública em geral não o preocupam. Está a fazer um ano que o PR resolveu dissolver o Parlamento depois de uma conversa com meia dúzia de banqueiros e financeiros, mas agora é que existe um clima de conflitualidade social como há muitos anos se não via, acompanhado de uma ainda maior degradação dos principais indices económicos e do agravamento do desemprego. Do líder da oposição esperar-se-ia apenas uma pergunta: «E agora, Senhor Presidente?».

As «Noites à Direita- Um Projecto Liberal» de quinta-feira passada foram dedicadas à economia, com uma bela conversa entre António Borges e Daniel Bessa e ambos coincidiram num retrato, semelhante, do país: dificuldade em fazer mudança, pouco debate ideológico, pouca abertura à inovação, elevado proteccionismo, pouca dinâmica social. Daniel Bessa, que curiosamente se classificou como um mero «consumidor de política» chegou a dizer que Portugal caminhava no sentido de se tornar semelhante à Sicília. Feito o diagnóstico, bem feito, diga-se, fica inevitavelmente uma pergunta: no actual quadro político-partidário será possível alterar as coisas? Os partidos que existem e o modo de funcionamento do regime não são eles próprios os pilares desta sicialização?

A AOL e a Warner anunciaram um novo serviço de Internet, In2TV, que permitirá aos utilizadores verem episódios inteiros de séries de televisão em «qualidade próxima da do DVD». O arranque do serviço está previsto para o início de 2006 e terá seis canais temáticos diferentes, acessíveis em banda larga normal com um software especial desenvolvido pela AOL e que para já será seu exclusivo. Quer dizer, está a nascer o novo universo dos canais exclusivamente pensados e programados para banda larga, sem necessidades de redes de emissão ou dos distribuidores de cabo pelo meio. A televisão, na realidade, está a deixar de ser o que era. E até por cá, mais dia menos dia, se há-de dar por isso.

VER – A próxima semana promete muita animação visual. Dia 23 inaugura mais uma edição da Arte Lisboa – Feira de Arte Contemporânea, que fica na FIL até dia 28 e integra as principais galerias nacionais e algumas espanholas. Entretanto na Estufa Fria, em Lisboa, já está a Anteciparte, que apresenta até dia 27 uma selecção da mais jovem expressão artística nacional.

DEVORAR – Misto de ler e de comer com os olhos, o livro «Na Roça Com Os Tachos» de João Carlos Silva, que, a partir de São Tomé e Principe, se tornou num caso raro de comunicação na televisão. As fotografias são de Adriana Freire, as receitas vão dos petiscos aos doces. Para as cozinhas, e em força!

OUVIR – Duas maneiras de ouvir uma nova e elogiada versão de «La Traviatta», dirigida por Carlo Rizzi à frente da Filarmónica de Viena e com as participações de Anna Trebenko como Violetta, Rolando Villazón como Alfredo e Thomas Hampson como Germont. Estreada em Salzburgo, esta nova versão da obra de Verdi tem sido elogiada. A Deustche Grammophon teve uma ideia editorial interessante: de um lado a edição da integral desta «La Traviatta», num CD duplo; do outro, e sob o título «Violetta», um CD que reúne as árias e duetos mais populares que percorrem a história de Violetta, com a voz de Anna Trebenko em particular destaque. Distribuição Universal Music.

BACK TO BASICS – Quando se aumenta o fosso entre as elites e as massas está a comprar-se um problema. Bem grande – basta ver o que se passa em França.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2003
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D