Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por falcao, em 13.11.05
A SEMANA DA PRISA

MUDANÇA – A paisagem audiovisual ibérica mudou com a entrada em cena de um novo canal aberto, a «Cuatro». Vale a pena espreitar o site www.cuatro.com e explorar as informações, ver o grafismo, dar uma olhadela aos conteúdos on line (que incluem alguns programas). O site é muito bom, a Cuatro quer alcançar um share de 5% até ao fim do ano. Tudo isto, por acaso acontece na mesma semana em que a Prisa, detentora da Cuatro, concluíu em Portugal a compra de uma participação significativa na Media Capital. A Prisa passou assim a ser, a partir desta semana, a empresa com maior peso no audiovisual dos dois países ibéricos, de facto controlando duas estações de televisão em sinal aberto, uma em cada um deles, e algumas das mais importantes estações de rádio.

PORTUGAL – No recente Mercado Internacional de Programas de Televisão, que decorreu em Cannes, quase todos os países da União Europeia, incluindo grande parte dos que integraram o mais recente alargamento, estavam representados com stands institucionais. Alguns, como a Espanha, a Irlanda, a Itália, a França, organizaram espaços-umbrella que acolhiam produtores independentes e estações de televisão, e, claro, film commissions. No caso espanhol era o instituto do comércio externo um dos impulsionadores da excelente representação. Portugal continua sem aparecer – nem como produtor, nem como destino de acolhimento de produções – não admira, continuamos sem ter uma Film Commission. Bem pode Pedro Bidarra dizer, com razão, que Portugal devia ser promovido como a California da Europa. O problema é que depois ninguém quer fazer nada por isso. Quase qualquer país dos presentes tinha Film Commissions bem organizadas, com informação sobre vantagens fiscais e outras que permitam atrair investimento. Aqui o ICEP vai fazendo uma Marca Portugal que quase ninguém entende e parece gastar mais energias no mercado interno que no externo. Um bocadinho paradoxal, não é?

É A ECONOMIA – Na próxima quarta feira António Borges e Daniel Bessa são os convidados de mais uma «Noite à Direita – Projecto Liberal», desta vez dedicada à situação económica e inevitavelmente ao Orçamento de Estado. O moderador será Martim Avillez Figueiredo e a bela sala da Sociedade de Geografia, junto ao Coliseu de Lisboa, será o ponto de encontro a partir das 20h30, já jantadinhos se fazem favor. Com participantes destes a discussão promete e a audiência não costuma ser branda nas perguntas e intervenções – como aliás se pretende.

VER –Puxando a brasa à minha sardinha não resisto a recomendar a estreia, hoje, sexta-feira dia 11, pelas 21h00, na 2: de uma série de documentários sobre o quotidiano da vida e da criação artística nos países africanos de expressão portuguesa, Imagináfrica. Hoje o tema é a História da Música Popular de Angola, desde os anos 60 com nomes como Liceu Vieira Dias e os N’Gola Ritmos até aos rappers contemporâneos. A realização é do angolano Jorge António e acreditem que é mesmo um belo documentário.

OUVIR – Acontece-me muito associar discos a momentos e a pessoas. «Let It Die» da canadiana Feist tornou-se num disco muito especial. É certo que a voz quase hipnótica de Feist, a servir poemas invulgarmente ricos, ajuda muito. Delicada e envolvente é irresistível quando canta «it’s the scene you set for new lovers/you play your part painting it a new start». CD Polydor, distribuído pela Universal.

JANTAR – Já aqui falei do Luca, um simpático restaurante italiano no centro de Lisboa. É difícil encontrar uma relação de qualidade-preço tão agradável e com um serviço tão eficaz, como neste local. A comida tem propostas variadas (não exclusivamente italianas), a garrafeira tem boas sugestões a preços razoáveis e o ambiente é descontraído e nada pretencioso. Há poucos dias jantei lá uma excelente sela de borrego com lentilhas e os restantes comensais também gostaram das respectivas escolhas. Para entreter a boca há um bom pão, para molhar em azeite transmontano da melhor qualidade. Nessa noite bebeu-se Chaminé, tinto, e ninguém se arrependeu. Rua de Santa Marta 35, telefone 213 150 212.

BACK TO BASICS – Quem nem o seu próprio partido consegue unir não devia fazer um cartaz a vangloriar-se de ser o melhor para unir os portugueses. Soares, mais uma vez, é só promessas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:24


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2003
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D