Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 15.04.04
BAIRRO ALTO – Nestas primeiras noites primaveris passeia-se no Bairro Alto e vêem-se prédios arranjados, ruas limpas, gente a passear, turistas bem dispostos, até ajuntamentos a ouvir fado vadio. Se não tivesse visto não acreditava.



OS INFALÍVEIS – Em Portugal há uma raça abundante designada por infalíveis. Mandam sempre palpite sobre aquilo que não é sua esfera de acção, sabem sempre o que fazer no território dos outros, têm mil ideias para assuntos em geral e poucas para assuntos em particular, sobretudo os seus. Gostam muito de opinar mas temem fazer. Preferem especular a concretizar.



POLÉMICA QUEIROSIANA – Boa parte do que acima se diz aplica-se à recente coqueluche da polémica nacional, que é sobre Eça de Queiroz. Que falta nos faz um Ramalho Ortigão que destape as carecas com farpas! Mais estrangeirados que qualquer personagem de Eça, surgiram uma série de oponentes a que se crie uma casa de Eça de Queiroz em Lisboa. Vamos passar adiante das miudezas, vamos passar adiante de visões académicas da divulgação da cultura e vamos direitos ao assunto: acham que é um disparate existir em Lisboa um espaço dedicado à divulgação da obra de Eça de Queiroz? Opõem-se à sua criação? Acham mal que uma cidade, cujas ruas e gentes tão retratadas foram nos seus romances, evoque o autor? Preferem que nada se faça?



CLÁSSICOS – Com tanta gente a escrever sobre os novos restaurantes e os restaurantes na moda, aqui fica uma sugestão editorial: uma série sobre os grandes clássicos de Lisboa, como o «Oh Lacerda!», desde os anos 40 na Avenida de Berna, depois de ter começado na antiga Feira Popular, a Palhavã. Nestes clássicos, a que poderíamso juntar outras casas como o «Paris», podemos encontrar cozinha honestíssima, preços aceitáveis, bom serviço. Coisas raras nos restaurantes mais modernaços.



INFLAÇÃO – Em semana de propostas editoriais proponho desde já que se comece a estabelecer um gráfico da inflação em restaurantes e demais hotelaria, com início agora e término no pós-Euro. Assim saberemos se há restaurantes que mantêm preços, quais os aumentos mais absurdos, como se processa a caça à carteira.



CARTAZ – Mais uma sugestão editorial: peguem nos nomes dos cartazes dos festivais de música que se aproximam, façam uma pesquisa na net e depois vejam quais são os que apenas tocam em Lisboa ou os que por cá passam a meio de uma digressão europeia. No fim tirem conclusões sobre a capacidade de atracção turística de um espectáculo que dias depois se repete em Madrid, Barcelona ou Paris.



ALMADA – A não perder a exposição sobre a obra gráfica de Almada Negreiros, em exibição no Palácio Galveias, em Lisboa. Centrada no período em que Almada viveu em Madrid, a exposição tem um bom complemento no livro «Marginália», entretanto editado pela Assírio & Alvim.



PAISAGEM – Perto do Beato há uma pequena galeria, paredes meias com um atelier de arquitectura, que volta e meia tem exposições que são revelações: a galeria chama-se Promontório (R da Fábrica de Material de Guerra,10) e a artista chama-se Mariana Viegas. A exposição dá pelo nome de «paisagem emprestada/borrowed landscape».



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:10



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D