Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 07.08.05
O ALGARVE

Tenho uma noção utilitária do Algarve. Gosto de praias com pouca gente. Nunca vou para lá em Agosto. Não gosto de filas nem de esperar muito tempo. Tudo isto é incompatível com o Algarve em Agosto.
Vamos pois por partes. Supermercados. Não se deixem iludir pela proximidade e comparem preços. Dos que visitei os Alisuper são, em média, os mais caros de todos. Se tiverem um Modelo ou um Lidl por perto fiquem a saber que não há diferenças sensíveis em relação a Lisboa. Os Jafers não são maus e de preço médio, mas onde vale a pena ir é ao magnífico Apolónia, em Almancil. Tem produtos únicos a preço aceitável, produtos vulgares a preços normais e uma garrafeira de excepção a preços razoáveis. No Algarve dificilmente se conjuga tão bem preço com qualidade como ali. Se estiverem perto de Quarteira (não torçam o nariz, não vale a pena), nas quartas feiras de manhã visitem o mercado de produtos locais. De requeijão a fruta fresca apanham de tudo. A bons preços e de excelente qualidade.
Passemos aos bares de praia. Eu, da praia, tenho uma noção estranha. Não gosto muito de sol nem escaldões, mas uma boa barraquinha de comes e bebes fazia-me percorrer o areal. Gosto dos fins de tarde na praia, e tenho saudades dos bares menos bonitos mas com melhor serviço e qualidade, que por ali estavam no areal antes de existirem só as construções estereotipadas de madeira. Peguemos o caso da zona de Vilamoura. Dantes, na D. Fernanda, a meio da praia da Falésia, praticavam-se preços exorbitantes mas o serviço era magnífico e a qualidade irrepreensível. Todos os anos a D. Fernanda migrava de Lisboa, de Campo de Ourique para Vilamoura, e ali nos deliciava com belos petiscos. As normas comunitárias e a legislação restaurativa vigente acabaram com a barraquinha da D. Fernanda e criaram muitos pré-fabricados de madeira nórdica no areal da Falésia. Em todos se come péssimo, na maioria o serviço é inexistente. Se isto fosse em Espanha, dizia-me um amigo meu, com uma localização destas, teríamos tapas, simpatia e «cachondeo». Assim só temos demoras e falta de escolha. As sanduíches são miseráveis, o pão é de refugo, a imaginação é nula. Nem salada de polvo, nem conquilhas, nem presunto, nem pimentos recheados, nem anchova, nem nada. Tristeza. Pacotes com meia dúzia de pistachios a um euro, distribuídos numa máquina é o que resta. Imperiais a dois euros. Gelados Olá a preços alterados, muito para cima, em relação à tabela. Simpatia, nicles. Os restaurantes de praia em Vilamoura estão a ficar como o resto do país: quanto menos gente a pagar, mais os preços (ou os impostos) aumentam. No fim tudo acaba falido.
Passemos agora aos outros restaurantes.
Começo por uma homenagem à Índia. Fica em Escanxinas, na estrada entre Quarteira e Almancil, chama-se muito apropriadamente Índia, tem uma bela esplanada deliciosa nestas noites cálidas. A comida é Tandoori (e muito estimável), o serviço é bom, os preços são médios. A garrafeira é mediana, mas bem escolhida. O telefone é o 289395756.
Em matéria de comida francesa um dos meus favoritos é o Couleurs de France, em Almancil. É uma casa isolada, onde se chega depois de passar o Apolónia, em direcção à 125, virando à esquerda logo antes do início do viaduto. Tem mesas ao ar livre e uma sala simpática. A comida é deliciosa – sim, excepcional - e o serviço é muito bom. Os preços são altos sem serem exagerados. O telefone é o 289 399 515.
Um outro género, igualmente francês, é o que este ano é proposto pelo Jardim do Vale. Em termos de comida e de serviço compete com a proposta anterior, mas as mesas ao ar livre estão num delicioso jardim com árvores de frutos, que é verdadeiramente um prazer. Fica na estrada de Almacil para Loulé, um pouco à frente do restaurante de Henrique Leis. O telefone é o 289 393 444.
Passemos agora, a bem dos contrastes e do bom senso, para Quarteira. Aí designo o Casa D’Ana. Fica na Rua 25 de Abril, telefone 289 31 64 71 . Comida portuguesa, fica tudo dito. Serviço simpático, só abre para jantar. Ali perto, em Loulé, na Rua Maria Campina, fica A Moagem. Está fechado aos domingos e nos outros dias vale sempre a pena lá ir. O dono é de Estremoz e ali pode pedir uma das mais extraordinárias entradas: coxas de rã – não torça o nariz e experimente que não se arrepende. O xarém com o milho algarvio anda ao lado das migas do pão alentejano nas mais heréticas e deliciosas combinações, entre o linguado e o bacalhau. É decididamente um dos locais a reter este ano, esperemos que não se estrague em Agosto – a prova de fogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:39



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D