Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por falcao, em 13.01.07
METRO – O Metropolitano de Lisboa aborrece-me muito: por causa das greves de sindicatos que pretendem apenas manter privilégios; e por causa das obras a céu aberto que transformam parte da cidade num inferno – é inadmissível o que se passa nas avenidas novas e perto do Corte Inglês. Alguém devia pôr cobro a isto e obrigar as obras a serem feitas de outra forma. O desprezo pelos cidadãos têm três níveis de actuação: o dos sindicatos que agridem os utentes; o da administração que se está nas tintas para a circulação em Lisboa; e o das autoridades competentes que fecham os olhos a todos estes abusos. Uma pouca vergonha.

SÍMBOLOS - Cavaco Silva rumou à Índia naquilo que parece ser uma visita guiada a um «case study». Levou alguns dos mais criativos empresários portugueses e colocou, na página da Presidência da República na net, uma área especial inteiramente dedicada à visita e ao país visitado, cheia de dados e exemplar do ponto de vista da construção (www.presidencia.pt) . Cavaco é um homem de símbolos e esta viagem é simbólica do ponto de vista dos convidados escolhidos e da forma como foi preparada, longe das incomodidades históricas sobre Goa, Damão e Diu. Gostava que alguém lhe tivesse mostrado, antes da viagem, dois filmes portugueses: «A Dama de Chandoor», de Catarina Mourão e «Pátria Incerta», de Inês Gonçalves e Vasco Pimentel. E não tinha ficado nada mal que estes autores fossem também parte das preocupações de quem elaborou a lista dos convidados. Também as áreas de intervenção dos convidados presidenciais são simbólicas. Assim como as ausências.

ESCALA - No final do mês Sócrates parte para a China, repetindo alguns dos convidados que Cavaco Levou à Índia. É típico: quando temos qualquer coisinha, esgotamo-la até à medula. Adiante. A realidade chinesa é difícil de abarcar: 666 cidades, 1,3 mil milhões de pessoas, 393 milhões de telemóveis, 3243 estações de televisão, 123 milhões de utilizadores de net. São números de estarrecer - se o jogo com Cristiano Ronaldo que a Y Dreams de António Câmara está a desenvolver conseguisse vender a apenas um por cento desses utilizadores, despacharia mais de um milhão de unidades. É outra escala – uma escala que vai alterar completamente a face do mundo nos próximos anos.

LER – Na edição deste mês da revista «Atlântico» está mais um incontornável artigo de Rui Ramos, desta vez sobre o Partido Socialista, uma abordagem histórica da sua evolução tendo em conta o pano de fundo da actualidade. Rui Ramos defende que o PS não cocretizará muitas das reformas que hoje estão em cima da mesa, porque concretizar não faz parte do modelo social do PS, um partido cujo oxigénio político sempre foi o Estado: « O PS – escreve – fez sempre tudo, desde que fosse imposto pelas circunstâncias. Mas nunca mais do que isso. É, de algum modo, o verdadeiro partido conservador do regime. Nunca começou nada de novo em Portugal».

OUVIR - Um grande disco para começar o ano e pensar bem na importância do amor e no valor das cumplicidades: «Love Sublime», um encontro entre um pianista de jazz, Brad Mehldau, e uma soprano, Renée Fleming, em torno da poesia de Rainer Maria Rilke e Louise Bogan. CD Nonesuch.

PROVAR - Come-se muito bem, o serviço é muito simpático, a sala continua lindíssima, as cadeiras e mesas são confortáveis, a garrafeira é razoável e a preços honestos – falo do Alcântara Café, que me aconteceu revisitar por estes dias ao fim de longa ausência. Criado no final dos anos 80, este continua a ser um local de referência. O meu risotto estava rico e no ponto, todos os comensais concordaram que mais valia revisitar um bom clássico que descobrir uma novidade fracota. É evidente, mas às vezes as modas impedem-nos de pensar. Aqui está um bom sítio onde voltar mais vezes, tanto mais que é dos poucos onde se pode jantar em condições até bem tarde – a cozinha fecha à uma, o espaço às três. R. Maria Luísa Holstein, 15, Tel. 213637176.

BACK TO BASICS – A coisa mais difícil de entender no mundo é o imposto sobre rendimentos, Albert Einstein.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:52


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D