Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 28.11.05
O PARADOXO DOS NÚMEROS

As sondagens surgem contraditórias: quinta-feira as capas do «Público» e a do «DN» não podiam ser mais diferentes. As sondagens não são eleições, são indicadores que merecem ser estudados. Por isso mesmo faz sentido aprendermos a olhar para elas de uma outra forma, sobretudo aprendermos a lê-las, nomeadamente para que elas não se fiquem por parecer um paradioxo numérico. Se visitarem o blog «Margens de Erro» (http://www.margensdeerro.blogspot.com) poderão ter boas supresas – que desde logo passam pela análise entre as sondagens pré eleitorais das presidencias de 96 e 2001, comparadas com os respectivos resultyados finais. O autor, Pedro Magalhães, é o responsável pelas sondagens da Católica mas reconheça-se que analisa as sondagens disponíevis no mercado com rigor e isenção. Até aos dias das eleições este blog é de visita regular obrigatória.

Tenho uma simpatia especial pelos candidatos fora do sistema. Constato que as pessoas mais arrumadinhas que eu também se deixam seduzir – veja-se o posicionamento de Manuel Alegre: tenho para mim que ele recolhe tantas intenções de voto porque exprime o descontentamento com um sistema político falso, velho, baseado na mentira e na guerra palaciana. Mas devo reconhecer que a campanha que mais me agrada, mais imaginativa, com um recurso criativo maior à Net, é a do candidato Vieira – que sugere brigadas Vieira que colem autocolantes, que lança uma campanha de angariação de assinaturas dinâmica e que nos obriga a pensar sobre o significado real das eleições neste sistema. Como seria de esperar Manuel João Vieira apresenta a sua conferência de imprensa num local marcante: o velho Maxime, da Praça da Alegria. E, já agora, como ele é também um pintor de talento visitem a sua mais recente exposição que está até dia 3 de Dezembro na Galeria Arqué, Avenida Manuel Bombarda 120 A (de segunda a s´sbado das 11h00 às 21h00).

Por falar em exposições, em Sines o novo Centro de Artes estreia-se com uma inesperada mostra de inéditos de Graça Morais. A história é assim: a convite da Cãmara Municipal local, entre Julho e Outubro, Graça Morais improvisou um atelier no Castelo de Sines. O objectivo era preparar uma exposição que inaugurasse o novo Centro. Às vinte telas que resultaram desta residência castelar chamou-lhe «Os Olhos Azuis do Mar» e é inesperada face à obra anterior da artista. Graça Morais juntou-lhes uns desenhos e desafiou Augusto Brázio a escolher algumas das fotografias que lhe fez - a ver e a pintar - e que vinham no «DNA» de sexta-feira passada. «Os Olhos Azuis do Mar» será também um livro das edições ASA.

Harry Connick Jr. ganhou fama a cantar, acompanhando-se a ele próprio ao piano. Foi dos primeiros vocalistas da nova geração do jazz cantado – mas cedo se percebeu que era também um pianista de talento. Exactamente por isso Connick fez há uns anos um primeiro disco apenas ao piano, sem voz, e agora reincide com «Occasion, Connick On Piano, 2». Para o acompanhar fez uma escolha fantástica: o saxofone de Branford Marsalis. O resultado é simplesmente incontornável, o diálogo entre o piano e o saxofone é mágico, e palavra de honra que não estou a exagerar. São 13 temas (11 de Connick e 2 de Branford) cheios de encanto e com muito swing.

Deixem de lado os preconceitos e peguem no mais recente romance histórico de Fernando Campos, «O Cavaleiro da Águia». Francisco José Viegas não hesita: «poucas vezes um romance histórico português usa uma linguagem tão comovente, se perde e se deixa seduzir pela poesia. Campos é um mestre do romance histórico que passa em silêncio, sem muito ruído». Esta nova obra remonta aos primórdios da nacionalidade e está centrado na história de Gonçalo Mendes da Maia, o Lidador, e das histórias à sua volta. Lê-se um fôlego e sabe a pouco no fim.

Em matéria de restauração começou recentemente a desenvolver-se um novo pólo que merece atenção, a partir da Avenida da Liberdade. De repente ali estão o «Ad Lib» (Hotel Sofitel, tel. 21 322 83 50), o indiano Tamarindo (Calçada da Glória 43, tel. 21 346 60 80), a emparelhar com propostas mais leves, já aqui referidas, como o Café Três e o Luca, ou ainda um antigo e injustamente pouco prezado local, o restaurante do Tivoli Jardim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:51



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D