Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por falcao, em 11.07.06
NEGÓCIO – O futebol deixou de ser um desporto há bastante tempo e passou a ser um negócio. Tem as regras dos negócios. É, ainda por cima, um negócio global, o que quer dizer que Portugal não conta para qualquer campeonato – até porque, desgraçadamente, não temos mercado que se compare ao das ex-colónias ou zonas de influência de outros países. A FIFA não é uma entidade desportiva, é uma gestora de interesses e os árbitros não são juízes, são instrumentos de regularização artificial. O futebol é apenas suposto gerar lucro. Eu por mim acho bem, mas não lhe chamem um desporto. É uma operação montada com o conhecimento de todos, a começar por esse estranho mundo das Federações. A única coisa lamentável é que às vezes se depositem as esperanças de um país numa coisa deste género. Quem o trata como um negócio está no seu direito. Quem exacerba o nacionalismo à custa disto não tem ética nem dignidade.


ESTRATÉGIA – À medida que os consumidores começarem a optar, pagando, por assistirem a programas de televisão sem publicidade, os anunciantes terão que procurar novas estratégias. O papel das agências de meios, que procurarão formas de proporcionar o contacto fora dos modelos tradicionais, tenderá a crescer. Ao mesmo tempo as agências de publicidade tradicionais poderão ter dificuldade em encontrar veículos para escoar a sua produção. Do lado da publicidade o futuro vai ser interessante e necessariamente criativo, e não nos mesmos moldes que nos últimos 50 anos. Um estudo recente garante que até 2009 a publicidade em televisão continuará a crescer, desde que o meio deixe de ser passivo e se torne decididamente activo, quer dizer, interactivo. Uma das peças decisivas de tudo isto será a TV portátil (mobile TV), que há-de passar por telemóveis, consolas de jogos, sistemas de navegação em automóveis e computadores domésticos. Da mesma forma que a net está a mudar radicalmente a nossa forma de comunicar, viver e trabalhar, a mobile TV vai ser um catalisador de mudança na forma de atingir alvos comerciais e de ver o que hoje só a televisão tradicional nos proporciona. O mundo vai ser bem diferente, e muito mais depressa que pensamos. No futuro os dogmas actuais em que se baseiam os planos de meios vão deixar de existir com a relevância que têm hoje. E o problema vai ser mais dos meios tradicionais do que de quaisquer outros.


OUVIR – Coexisto entre os discos, o iPod e a rádio. Nesta última, depois de andar uns tempos a ouvir a Radar, mudei de frequência porque os locutores acham mais graça a ouvirem-se a eles próprios do que a colocarem música. Mudei para a Oxigénio nos últimos dias e estou bastante contente (102.6 FM, região de Lisboa ou www.oxigenio.fm em todo o mundo). A Radar, agora, parece a TSF de música – fala, fala, e não diz nada (com a devida vénia aos gatos fedorentos). Ultimamente tenho voltado ao prazer dos discos – escolher o que ouvir. E redescobri, graças à Amazon, uma preciosidade: o disco «Disraeli Gears» dos Cream onde estão canções como «Strange Brew» ou o único e inimitável «Sunshine Of Your Love». A gravação original é de 1967, da Atlantic Records. E tem uma capa que é provavelmente uma das melhores peças gráficas que a indústria discográfica colocou no mercado.


BEBER – Eu sei que não é exactamente a mesma coisa, mas se pegarem no novíssimo Compal Frutos Vermelhos e lhe adicionarem vodka e gelo em doses generosas, e Cointreau e sumo de lima em doses moderadas, verão que se aproximam da mística do «Cosmopolitan» , o cocktail tornado famoso pelas raparigas do «Sex In The City». A milhas das caipirinhas falcatruadas que se fazem por aí e a anos luz das caipiroshkas de trazer por casa. Por junto é a diferença entre ver um filme ou ficar pasmado a seguir uma telenovela.


COMER – «El Corte Inglês» é a salvação nestes dias de calor. É o único supermercado de Lisboa com carpaccio decente, rúcula saborosa, escolha alargada de queijo parmesano reggiano Além disso há framboesas frescas, figos maravilhosos, bom presunto serrano, e saborosíssimas vieiras para gratinar. Adicionem Murganheira bruto reserva e perceberão porque nestas noites de calor um jantar pode correr melhor em casa que num restaurante.


BACK TO BASICS – Não se preocupem em crescer devagar, preocupem-se apenas em ficarem imóveis (provérbio chinês).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:21


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D