Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por falcao, em 25.07.07
MALDITA REGULAMENTAÇÃO
(na edição de Quarta Feira 25 de Julho do «Meia Hora»)

Em matéria de prazeres gastronómicos a regulamentação irrita-me um bocado. Vou pôr a frase de outra maneira: irrita-me mesmo muito. Irrita-me que alguns burocratas da Comissão Europeia digam o que podemos ou não comer e, pior, como e onde o podemos fazer. Irrita-me ainda mais que alguns burocratas locais sejam mais papistas que o papa e em vez do cérebro utilizam regulamentos. Cá para mim a imagem que passa da ASAE é a de um grupo barulhento liderado por alguém que se acha descendente directo de Emiliano Zapata – a começar no bigode e a acabar no discurso.

Sempre achei – e não é agora que vou mudar – que a frase «estou apenas a cumprir ordens» é sinal de indigência mental de quem a pronuncia e, regra geral, de prepotência e estupidez de quem a inspira – porque dá ordem sem as explicar , provavelmente porque também as não percebe.

Vem esta lenga-lenga a propósito de sucessivos choques que tenho tido nos últimos tempos. O mais recente foi quando há dias fui a uma queijaria tradicional perto de Palmela, na Quinta do Anjo e deparei com um horizonte de mudança – para pior. A queijaria era local limpo e asseado, premiada em competições internacionais do movimento «slow food», onde me habituei a comprar queijo fresco (mas mesmo fresco, a babar, não sei se estão bem a ver…), requeijão e queijo curado ou de meia cura. Além disso havia um pão caseiro fantástico, tartes de requeijão sensacionais, vinhos da região e doces caseiros variados conforme as estações do ano. Pois na sequência de uma inspecção qualquer acabou tudo menos os queijos – e mesmo esses estão a ficar demasiado assépticos para o meu gosto. A tarte de requeijão que eu queria já não há, porque a casa não tem licença para a fazer nem vender porque é apenas uma queijaria. Este Portugal muito tecnológico está a ficar demasiado regulamentado, demasiado espartilhado, demasiado impositivo.

Espero que não imponham um tamanho aos caracóis. Quem não digam que não se devem comer. Que não persigam as petingas. Que não castiguem, as velhas cozinheiras que fazem doces caseiros. Que não normalizem as tetas das ovelhas e das cabras em nome da assépsia dos queijos. E espero que os burocratas sejam regulamentados, confinados, postos a pastar nos jardins de S.Bento para regalo do pastor que os inspira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:49


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D