Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 06.08.06
AS LISTAS


Nunca gostei muito da ideia de fazer listas com nomes de pessoas. Alguns maus momentos da História da Humanidade estão associados à mania de listar pessoas. A nossa própria História de Portugal tem a sua boa parte de maus momentos nesta matéria.

Afixar publicamente listas de pessoas, englobando-as dentro de determinado grupo ou categoria, ou sob determinada acusação, sem possibilidade de defesa, sem qualquer espécie de julgamento, parece-me o mais perigoso de todos os procedimentos, o mais totalitário e anti-democrático sinal do autoritarismo do Estado e da imposição do seu poder.

Pretende-se com a afixação de listas evidenciar transparência, sugerir vigilância – mas o efeito prático é sobretudo o de procurar descriminar, apontar e humilhar publicamente pretensos faltosos ou incupridores.

Uma das piores coisas desta afixação de listas reside no facto de o Estado se assumir como o vigilante todo poderoso, omnipresente, que não tem dúvidas nem se engana, e que expõe os seus súbditos como bem entende. O Estado é dono de tudo e dono de todos e faz o que quiser, como quiser, a quem quiser – é nisto que esta prática se baseia.

Não é certamente por acaso que esta medida é tomada pelo Ministério das Finanças, que neste Governo tem sido o mais acabado exemplo de perseguição e punição dos cidadãos. Incapaz de fazer uma política fiscal mais justa, que conceda vantagens a quem as merece, que seja dinâmico a criar mecanismos de estímulo de poupança e captação de investimento, incapaz de fazer pagar quem pode e deve, o Ministro Teixeira dos Santos ficará na memória por ser o obreiro dos mais brutais impostos directos e indirectos que atingem em primeiro lugar os trabalhadores por conta de outrem, por reduzir a esperança de poupança das famílias, por penalizar a simples existência de uma pessoa neste país. Com Teixeira dos Santos cada cidadão paga mais ao Estado e o Estado garante-lhe menos. A verdade é esta e não há volta a dar-lhe. Ele é o bastião ideológico do socialismo absolutista e despesista, o arauto da perseguição ao trabalho, o carrasco da punição do justo rendimento.

É muito mau sinal quando um Primeiro Ministro permite – e se calhar até estimula – que o Estado se arme em justiceiro à margem dos tribunais e aponte a dedo na praça pública quem os serviços bem entendem. Abrem-se com esta medida precedentes gravíssimos, cria-se uma brecha nos Direitos individuais. Esta é uma daquelas medidas que não honra quem a tomou, que mancha quem a permitiu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:09



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2003
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D