Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 03.07.06
CRÓNICA SOCIAL


Na semana passada foi inaugurada a primeira exposição da colecção da Fundação Ellipse, nas suas instalações próprias, no Alcoitão. Esta Fundação, integralmente privada, não recebeu –nem pedinchou – apoios do Estado. Reúne um grupo de investidores, que decidiram criar uma colecção representativa da arte contemporânea, com compras feitas segundo um critério que não teme em procurar momentos de ruptura e clivagem na criação artística actual. Ao mesmo tempo os responsáveis da colecção têm consagrado uma parte importante dos seus recursos a aquisições de artistas portugueses, o que vai sendo uma raridade até nas colecções oficiais ou em outras colecções nacionais mais dadas ao encantamento provinciano por um cosmopolitismo sintético.

O Centro de Artes da Fundação foi colocado numa zona industrial, num armazém transformado, e como sublinham os seus responsáveis, procurou-se encontrar uma solução eficaz e não faraónica nem de ostentação, que mantivesse em níveis de razoabilidade o investimento na sede, para libertar o máximo de recursos para a colecção propriamente dita.

Resumindo: bom senso, iniciativa privada, exemplo de uma dinâmica apreciável da sociedade civil na área da cultura – tudo motivos de alegria e contentamento. Seria pois de esperar que os poderes instituídos, a começar pelo funesto Ministério da Cultura, aplaudissem a iniciativa e dela fizessem exemplo.

Pois bem, na inauguração da exposição, sexta feira passada, carinhas do poder central – nem, vê-las. A intrigante Ministra da Cultura não esteve, nem nenhum dos seus ajudantes. Mas ela por acaso na sua apertada agenda encontrou espaço para poder estar numa espécie de arraial, em Azeitão, patrocinado por Joe Berardo. Há escolhas que mostram muito do carácter de uma pessoa: depois de ter andado a empatar a resolução da colecção Berardo, lá executou as ordens do Primeiro-Ministro, e agora surge obediente e conformada nos actos públicos a ele ligados.

Na realidade não é estranho – o poder não gosta de ser criticado e muito menos aprecia quem se atreve a revelar a sua nudez. Se quiserem ler a entrevista que o impulsionador da Fundação Ellipse, João Rendeiro, deu à revista virtual ArteCapital (www.artecapital.net) , poderão perceber um pouco do que está em jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:35



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D