Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



RUÍDO - No PS existe um trio – Santos Silva, Vitalino Canas e António Vitorino – que serve de tropa de ataque verbal. São os altilfalantes de serviço quando é preciso justificar o injustificável. Um deles – Santos Silva - por acaso, tem a tutela da comunicação social  e já se sabe que este Governo tem uma política de comunicação invulgarmente bem conseguida. É um pouco paradoxal que dois dos elementos deste trio de picaretas falantes tenham lugar de destaque numa iniciativa que se pretende fazer passar por «think tank». Colocar propagandistas à frente de um grupo de reflexão só serve que de lá surja mais propaganda e menos pensamento.

 

SILÊNCIO - Num esforço de compreender a estratégia do silêncio, esperei por ouvir o discurso de Manuela Ferreira Leite. Foi um bom discurso, um diagnóstico certo do estado do país, uma crítica ao que merece ser criticado. O único problema, depois de dois meses de silêncio, é que o discurso, mais coisa menos coisa, repetiu o mesmo que a líder do PSD tinha dito há umas semanas atrás numa entrevista na TVI a Constança Cunha e Sá. E, no fim do silêncio, impunha-se alguma novidade. Em vez disso veio a repetição. Esta falta de novidade apenas serve para reforçar as dúvidas sobre a bondade – e verdadeiras razões - da estratégia do silêncio.

 

LISBOA- À falta de fazer obra e de mudar a cidade, António Costa opta por fazer alianças que lhe permitam semear apoios para as próximas eleições. A negociação com Helena Roseta é mais um caso de hipocrisia política – de ambas as partes. Particularmente desagradável é que o mesmo executivo camarário que acabou com o África Festival venha agora cobrir o novo acordo com umas iniciativas em prol da multiculturalidade.

 

TRIBUNAL - Esta semana foi pródiga em notícias judiciais e a única conclusão que se pode tirar é que, qualquer dia, se começa a poder dizer que com tribunais destes o crime compensa. O que é certo é que um ex-detido já tem uma indemnização mas as vítimas do mesmo processo ainda não.

 

TV - A pouco tempo do início do processo sobre o quinto canal de televisão convém ter presente o papel que ele pode ter, em termos estratégicos, para a reorganização do espaço audiovisual e para a manutenção e desenvolvimento de uma indústria audiovisual falada em português. Há uns anos a SIC e a TVI deram um impulso à produção independente que, durante anos, a RTP não conseguiu dar. À escala, o quinto canal pode e deve potenciar o que já existe  - desde que haja vontade para isso. Não ter isto em conta pode ser fatal para a consolidação da produção audiovisual portuguesa.

 

LEILÃO - Damien Hirst é um artista plástico que se comporta como uma estrela rock – citando a capa da «Time» desta semana. No próximo dia 15 Hirst prepara-se para fazer história ao leiloar através da Sotheby’s um conjunto de 223 obras suas, recentes, propositadamente produzidas para a ocasião, e que se estima poderem gerar vendas de 120 milhões de euros. Será a maior venda de obras de arte de um artista contemporâneo, mas também um marco – Hirst ultrapassou os tradicionais galeristas e vende directamente através de uma leiloeira – quer dizer que em vez de dividir com o galerista, irá receber a totalidade da receita da venda (já que nos leilões o comprador paga a comissão à leiloeira por cima do preço do lance). Na realidade nos leilões os artistas raramente recebem dinheiro já que as obras não lhe pertencem – neste caso é ao contrário. Hirst fez do seu nome uma marca, geriu a sua carreira com cuidado e agora aqui está a sua produção recente, realizada com o auxílio de 120 assistentes em seis ateliers diferentes em Inglaterra. Vão ao site da Sotheby’s (www.sothebys.com), cliquem no delicioso nome da exposição de Hirst («Beautiful Inside My Head Forever») e explorem o que por lá está. Não vão dar o vosso tempo por perdido.

 

COMIDA - O Kaffeehaus é um simpático bar-restaurante que abriu no Chiado, mesmo em frente ao Governo Civil, na Rua Anchieta nº3. A decoração é despretenciosa mas confortável, o ambiente tem a luz certa, o serviço é muito simpático e rápido e na comida – austríaca, claro – destaque para os escalopes de porco panados com salada de batata (bons escalopes, finos, sem óleo a escorrer), o guisado vienense de vaca e um bife de novilho picado acompanhado por um bom puré de batata. Para os mais frugais também há umas saladas, parece que boas. Há vinho a copo, boa cerveja de pressão e nas sobremesas há um incontornável sachertorte, ou seja o bolo de chocolate dos cafés vienenses. Os preços são moderados. Fecha à segunda e o telefone é o 210956828.

 

ESCUTA – Para quem gosta de blues e de jazz aqui fica uma recomendação: corram a ouvir «Two Men With The Blues», um delicioso encontro entre o trompetista Wynton Marsalis e o country singer Willie Nelson, os dois às voltas com standards como «Stardust», «Geórgia On My Mind», «Rainy Day Blues» ou «Bright Lights Big City».

 

LEITURA - De entre as revistas recentes surgidas em Portugal há uma que merece destaque, a «Parq», que se apresenta como revista gratuita de moda e cultura urbana. A frase corresponde à realidade, os artigos são interessantes, o grafismo e a fotografia são exemplares., nesta edição número 6, de Setembro, recomendo o portfólio «Angola Luso», o artigo sobre a fotógrafa Olivia Arthur e sobretudo a pequena história da última página, começada numa operação STOP. Mais informações sobre a revista em www.parqmag.com .

 

BACK TO BASICS – A realidade supera sempre a ficção, Mark Twain.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:32



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D