Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 


UNANIMISMO - Pronto. José Sócrates fez o Congresso do PS como quis. Não teve oposição. No seu partido já conseguiu o que quer para Portugal - é muito educativo olhar para o que ele fez no PS para entender o que acha ser o seu modelo ideal de funcionamento para o país – unanimismo, oposição calada, rivais afastados. Quatro anos a polir a imagem e a manobrar a comunicação deram nisto: um partido, uma voz, uma imagem, um homem.

 

TENSÃO – A crispação entre o Governo e a Presidência vai ter tendência a subir e não me admiro se a máquina de contra-informação do Governo começar a fazer das suas depois de Cavaco Silva se recusar a fazer as eleições legislativas em conjunto com as europeias e, sobretudo, depois de vetar a lei de restrição da actividade da comunicação que o PS pretende impôr, conhecida por «Lei do Pluralismo e não concentração dos meios de comunicação social», fruto das ambições de Augusto Santos Silva.

 

DÚVIDA – Ao lado de Manuela Ferreira Leite não haverá ninguém que a impeça de dar sucessivos argumentos ao PS, como foi o caso da desastrada declaração sobre o Congresso do PS? É que foi essa declaração que deu a Sócrates o pretexto para a transformar no bombo da festa.

 

LER – A «Monocle» é cada vez mais a revista das cidades, com o mundo dividido pelas grandes urbes e não por países. Nesta nova edição de Março o destaque vai para o que há a descobrir em Berlim (com um belo guia de compras na cidade),o mercado de arte na Europa, locais para descobrir o que de melhor há para comer no Cairo e para a história do artista plástico Oscar Bronner que fundou o jornal «Der Standard» porque não encontrava nada decente para ler em Viena. Para reter fica a indicação de que a música nova que vale a pena ouvir está no programa «Morning Becomes Eclectic» de uma estação de Los Angeles que faz reganhar o gosto pela rádio – a boa novidade é que pode ser ouvida on line em www.kcrw.com (o arquivo de emissões recentes do programa indicado está disponível e indicado no site).

 

RECORDAR - Não resisto a referir a extraordinária conferência que Kjell Nordstrom proferiu na semana passada em Lisboa, por iniciativa da empresa de consultoria Strategos e deste «Jornal de Negócios». A sua intervenção foi focada nas tendências económicas e sociais e permito-me destacar o que ele apontou como uma tendência irreversível, a urbanização das sociedades, que levará as cidades a tornarem-se no principal pólo de actividade. Segundo Nordstrom, no mundo inteiro, em 2020, 75% da população viverá em cidades e em 2040 a percentagem atingirá os 90%. As consequências disto na forma de viver, de produzir e de consumir serão gigantescas – os países, defendeu o conferencista, terão tendência serem subalternizados em relação às cidades – por exemplo fará sentido falar de Lisboa, Porto, Madrid, Barcelona, Valência e Bilbao e não em Portugal ou Espanha. Dá que pensar…

 

OUVIR – A prova que Nina Simone era um caso raro de talento e de genialidade na interpretação vocal está num registo ao vivo, que a magnífica colecção «Verve Originals» agora disponibilizou. Gravado em 1987 no Vine Street Bar, em Hollywood, com Nina Simone ao piano e voz, Arthur Adams na guitarra e no baixo e Cornell McFadden na bateria, o disco inclui belíssimas versões de temas como «My Baby Just Cares For Me», «Just Like A Woman», «Stars», «Let It Be Me» ou «Sugar In My Bowl». CD Universal, disponível no mercado português.

 

COMER - Na Rua do Sacramento a Alcântara nº74 (perto do primitivo Hospital da CUF e do Ministério dos Negócios Estrangeiros) fica a Casa Toscano – Churrasqueira do Sacramento, um daqueles pequenos restaurantes, antigas casas de pasto ou mesmo tabernas, que com o andar dos anos se foram reconvertendo. Pois o local apresenta como especialidade o peixe muito bem grelhado na original brasa de carvão. A oferta diária de peixe fresco é vasta, a matéria prima é muito boa, e na sua época as sardinhas batem a concorrência de muitos outros locais. Para os apreciadores há uma raridade – cabeça de garoupa na brasa, em vez de cozida. As iscas da casa são famosas assim como a genuína «Dobrada à Porto» ou as caras de bacalhau. A casa vive de algum dialecto local – uma mesa para trinta é uma mesa para três pessoas, um viagra é um frasco de picante, meia perdiz é meio whisky, um mantorras é um peixe grelhado bem tostado no carvão e um alentejano é um queijinho de Évora. A casa está muitas vezes cheia mas a espera nunca é demorada. E a experiência vale a pena.

 

GOLPADA - Woody Allen está no meio de uma nova fase da sua carreira que se resume a isto: só faz filmes quando há Films Commissions a pagar. Depois de ter explorado o filão londrino, virou-se para Espanha com «Vicky, Cristina, Barcelona» e fez um postal ilustrado da capital catalã que é apenas salvo da vulgaridade pela presença fulgurante de Penélope Cruz, que faz Scarlett Johansson parecer uma anémica actriz amadora. Agora já se sabe que Allen vai filmar a Paris. Por este andar ainda cá chega… se entretanto alguém criar uma Film Commission que anda na calha pelo menos há quase 20 anos.

 

DEVORAR – Segunda-feira que vem é inaugurada no Museu Berardo (CCB) uma exposição fundamental para  todos os que se interessam por fotografia. Intitulada «Arquivo Universal – O documento e a utopia fotográfica» aborda a missão e a história da fotografia, a sua existência enquanto documento, testemunho e representação histórica, através de 1000 imagens de 250 autores diferentes. A exposição foi organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Barcelona.

 

BACK TO BASICS – Nada é mais difícil do que a arte de manobrar para alcançar uma posição de vantagem – Sun-Tzu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:29



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D