Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 


CONCURSO – Decorre actualmente uma competição para escolha do mais horrível cartaz de propaganda política nesta fase do ano eleitoral em curso. A primeira ronda deste concurso encerra no dia das Europeias. PS e PSD estão por enquanto empatados em falta de ideias, originalidade e mau gosto gráfico.

 

ESCOLHA – A escolha de Paulo Rangel para cabeça de lista ao Parlamento Europeu só pode querer dizer que o PSD resolveu subalternizar a Assembleia da República – na verdade Rangel foi o melhor líder parlamentar do PSD desde há algum tempo e seria natural que ele constituísse um trunfo precioso nas próximas legislativas – até porque, recordemos o assunto, a líder social-democrata não é actualmente deputada e as poucas despesas de oposição feitas pelo PSD têm surgido pela mão de Paulo Rangel, que já é candidato à alcunha de «O Desterrado».

 

CRISE - De um Banco Central espera-se seriedade . Não se espera que seja nem atacante cego nem defensor cerrado do Governo. Espera-se realismo nas projecções, não se espera que mude de direcção como um catavento. Em apenas seis meses a avaliação do Banco de Portugal à situação da economia portuguesa passou de excelente para perigosa. Em que altura exagerou? Constâncio perde a credibilidade à medida que a crise se instala. Era útil e certamente esclarecedor repescar as suas afirmações desde há um ano atrás.

 

LER – A mais recente edição da revista «Egoísta» assume a forma de um gigantesco desdobrável – as páginas não se folheiam apenas, estão produzidas por forma a serem um enorme fole desdobrável, quase a pedir para ser esticado numa parede para aí o podermos ver sempre. Feito sob o tema do «Sonho», este número da «Egoísta» é mais um bom desafio a todas as convenções gráficas. Destaque para o portfolio de Anne Leibowitz, para as fotos de Ana Calhau e para os textos de Pedro Mexia e José Fialho Gouveia, que se destacam entre a rotina pouco imaginativa das demais colaborações. Magnífica na forma, a «Egoísta» precisa de encontrar um ponto de equilíbrio no conteúdo, que, infelizmente, muitas vezes não acompanha o delírio e o sonho do seu grafismo.

 

VER – Abre hoje no Sintra Museu de Arte Moderna uma oportuna exposição dedicada à cerâmica de Rafel Bordalo Pinheiro – cuja fábrica esteve para fechar, e foi comprada pela Visabeira, que pretende recuperá-la – curiosamente uma operação que o Governo apresentou como sendo da sua autoria. Nestes tempos em que tudo serve para fazer propaganda, fica aqui o desejo que esta exposição sirva para publicitar o talento de Bordalo e que contribua para que a obra da fábrica com o seu nome seja mais conhecida e desejada. A exposição tem o título «Da Caricatura À Cerâmica» e pode ser vista até 14 de Junho.

 

HINO - Chegar ao fim de 30 anos de carreira numa banda de rock é obra séria. Chegar ao fim desses 30 anos e fazer uma canção como «Sem Eira Nem Beira» é ainda mais sério. A canção – agora já muita gente a ouviu – é um manifesto de revolta contra a hipocrisia dos políticos. É inevitável que na actual situação se venha a tornar num hino. Mesmo sem intenção deliberada por parte dos Xutos & Pontapés, esta canção do novo álbum da banda é a maior acção de oposição que Sócrates tem pela frente. A canção é boa, a letra é boa, vai ser um êxito, fala dos tempos que correm – tal e qual o que um tema rock é suposto fazer: mexe com as pessoas - «Senhor Engenheiro/Dê-me um pouco de atenção/…/Não tenho eira nem beira/ Mas ainda consigo ver/Quem anda na roubalheira/…». Para conhecer basta fazer busca pelo nome da canção no YouTube.

 

OUVIR – A mais recente compilação da série «Red Hot» chama-se «Dark Was The Night», um título baseado num «blues» tradicional de Blind Willie Johnson, aqui interpretado de forma inesperada pelos Kronos Quartet. A compilação tem dois CD’s, o primeiro baseado em versões de tradicionais norte-americanos – outra surpresa é a versão de Antony para «I Was Young When I Left Home», de Bob Dylan.. O segundo disco agrupa exemplos de alguns dos melhores músicos que farão a história do começo deste século XXI – Arcade Fire, Spoon, Sharon Jones ou Beirut. Outros participantes em mais esta colectânea são Feist, The National e My Brightest Diamond, entre outros. As receitas destinam-se à prevenção da SIDA, como em todas as iniciativas «Red Hot». Edição 4AD, graficamente arrebatadora, como sempre – disponível na Amazon.

 

EQUÍVOCO – O prémio Bes Photo é uma boa ideia em si. A colecção de fotografia do Banco Espírito Santo é uma certeira aposta num meio de expressão que durante muitos anos foi subalternizado. Dito isto, vem a dúvida: a forma como decorre o processo de selecção e, depois, de atribuição de prémio Bes Photo é que já suscita interrogações e, por vezes, perplexidades. O predomínio de uma utilização oportunista da fotografia enquanto muleta para outras expressões plásticas, em detrimento do que lhe é próprio e específico, é o risco que repetidamente se tem corrido - e os resultados deste ano apenas contribuem para agudizar o equívoco. Nunca é boa política que num júri esteja um dos premiados anteriores, nem parece acertado que os nomes que mais seguem a fotografia em Portugal estejam tão ausentes de todo o processo, que privilegia os críticos de artes plásticas generalistas em detrimento de uma abordagem mais especializada. Assim, parece um regresso ao tempo dos jogos florais.

 

PETISCAR – A Mad Pizza iniciou Actividades no Amoreiras Plaza e ganhou reputação graças às suas pizzas de finíssima e estaladiça massa integral – sim, integral e saborosa. A boa novidade é que já podem ser encomendas numa área de proximidade das Amoreiras (de 2ªa a sábado entre as 12 e as 22h, sábados e domingos apenas entre as 12 e as 15h30) pelo telefone 210503561. Os preços estão entre os 5.50 euros e os 11.50 euros), dependendo dos tamanos e do que se coloca na massa). O ideal é mesmo ir uma vez experimentar ao Amoreiras Plaza e ver todas as alternativas existentes.

 

BACK TO BASICS – O objectivo do Rock é fazer as pessoas agirem e reagirem – Marilyn Manson

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:54



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D