Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 01.02.08
AS NOSSAS CIDADES
(publicado no diário «Meia Hora» de quarta feira dia 30 de Janeiro)

Uma das coisas que permanentemente me preocupa é a volatilidade das estratégias das nossas cidades. As coisas aparecem feitas um pouco por acaso, sem planos continuados, sem método, sobretudo sem grande estudo. As cidades portuguesas cresceram muito nas últimas décadas mas paradoxalmente desertificaram-se no seu centro. A grande culpada disto, já se sabe, é a Lei das Rendas – que apesar das tímidas reformas continua a fomentar a compra de casa, a justificar a construção nas periferias, a criação de cidades dormitório.

O caso de Lisboa é particularmente preocupante, porque a cidade está cada vez mais a perder habitantes e claramente está a ficar envelhecida. Reconheço que nesta semana se deu um passo importantíssimo para Lisboa – a devolução da zona ribeirinha à cidade, e à sua autarquia. De uma forma ou de outra, a partir de agora, terá que se pensar neste assunto, na forma de refazer Lisboa a partir do rio, na forma de conseguir projectar o futuro.

Como estas coisas se fazem a partir de bons exemplos e de bons estudos, sugiro que percam algum tempo neste endereço: http://www.nycfuture.org . Trata-se do site do «Center For A Urban Future», de Nova Iorque. Esta organização apresenta-se como um think tank que produz relatórios aprofundados sobre temas críticos que preocupam a cidade e apresenta propostas políticas concretas para resolver alguns problemas.

A existência de organizações deste tipo é relativamente comum nos países onde a sociedade civil é activa – os poderes aliás tendem a apoiar este género de iniciativas, a manter um bom diálogo e a aproveitar muitas das suas sugestões.

Uma visita ao site do «Center For A Urban Future» permite ler estudos sobre temas que vão do ensino da língua inglesa a emigrantes, até ao ressuirgir das feiras de rua em Nova Iorque, passando por políticas de cultura, de emprego, de animação. E, lá também poderão ler a transcrição do debate «Creative New York», uma peça que os nossos queridos autarcas de todo o país – a começar por Lisboa e Porto – bem poderiam estudar.

Uma cidade que perde a criatividade e não a estimula acaba por perder todo o atractivo. Parece evidente mas basta olhar à nossa volta para ver o triste estado da Nação nesta matéria.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:45



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2003
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D