Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por falcao, em 08.07.07
PORTUGAL – A Europa devia saber o clima que este Governo anda a criar, a forma como desenvolve o papel prepotente do Estado, como estimula a denúncia, como desenvolve o medo por represálias, como se recusa a prestar explicações – o episódio da inviabilização da audição parlamentar de Correa de Campos, para que ele não tivesse que falar sobre o caso da demissão da directora do Centro de Saúde de Vieira do Minho, mostra bem a noção de democracia que o PS pretende aplicar no Parlamento – onde as propostas dos socialistas sobre a reforma da Assembleia da República são um manual de arrogância e prepotência. E lá surge sempre Santos Silva, Ministro dos Assuntos Parlamentares, na linha da frente da limitação da expressão. Sugere-se à oposição a adopção de uma nova palavra de ordem: Santos Silva para a Venezuela, já!


PARQUE MAYER – António Costa lá caíu na tentação de juntar os artistas do costume para fazer o número do Parque Mayer. Aproveitou o embalo folclórico e destapou a careca da tacanhez, atacando o valor e a utilidade de grandes obras de arquitectura, emblemáticas, chamando-lhes desperdícios. Ainda bem que D. Manuel I não era tão pacóvio, ou não teríamos os Jerónimos; ainda bem que D. João I tinha orgulho em afirmar a imagem de Portugal ou não teríamos o Mosteiro da Batalha; ainda bem que D. João V não teve medo em contratar um alemão para fazer o mais importante monumento do barroco português, o Convento de Mafra. Já se percebeu que, com Costa, Lisboa é para ficar uma cidadezinha sem ambiçãozinha, simplezinha e arranjadinha. Ao seu lado o arquitecto Manuel Salgado, impassível, dava-lhe a cobertura estética. Isto vai ser bonito, vai…


CORRER – O Presidente francês Nicolas Sarkozy está a ser alvo de uma campanha de alguns prestigiados intelectuais por causa da sua paixão pelo jogging, que partilha com o Primeiro-Ministro português. O filósofo Alain Finkelkraut insinua que o jogging é de direita, classifica-o como um acto filistino e pouco francês, e recomenda ao Presidente longas caminhadas, que ajudam à reflexão, como é tradição na civilização ocidental. Um analista de comunicação e media, Daniel Schneidermann, diz que as imagens recorrentes de Sarkozy a correr são «uma importante arma de manipulação mediática». Aguarda-se uma tese de Eduardo Prado Coelho sobre a elegância do correr de José Sócrates e uma deliberação da ERC sobre o carácter didático das corridinhas socráticas…


TELEJORNAIS – Na segunda feira, dia da reunião do Conselho Geral e de Supervisão do BCP, preparei-me para saber o que se tinha passado pelos telejornais das 22h00, na RTP 2 e na SIC Notícias. Eis que a RTP 2 abriu com uma cerimónia propagandística do Governo (uns novos fundos europeus), que no dia seguinte pouco destaque mereceram nos jornais; depois avançou para uma notícia sindical e outros faits-divers – a notícia sobre o BCP chegou finalmente quase meia hora depois do início, já no final do Jornal; na SIC Notícias foi a reunião do BCP a abrir o Jornal, e para além da informação factual estavam em estúdio convidados, especialistas, para comentar o sucedido. Como o alvo de ambos os Jornais é semelhante, qual a justificação para semelhante diferença de critérios editoriais?


EXEMPLO – Aqui os nossos vizinhos espanhóis, que não perdem tempo, nomearam o português Sérgio Mah para comissariar a Photo España, que já é uma das mais importantes mostras de fotografia europeias. A curiosidade é que Sérgio Mah ganhou notoriedade internacional com a bienal Lisboa Photo, que dirigiu até que esse coveiro da cultura lisboeta, que dá pelo nome de Amaral Lopes, a extinguiu para substituir por uns festivalecos de cinema digital que este ano foram um belo insucesso. A vida é assim: ficamos nós a perder, os espanhóis a ganhar, e o Amaral a assobiar para o ar…


COMER – Campo de Ourique está cheio de bons e simples restaurantes. Um deles, com grelhados de eleição, é a Parreirinha do Minho, na Rua Francisco Metrass 47. A morcela com legumes é fantástica, os grelhados de peixe e carne são exemplares. O ambiente é familiar, o vinho da casa é honesto. Teel. 21 396 90 28


OUVIR – O jazz que o Estoril Jazz oferece entre 6 a 15 de Julho no Auditório do Parque Palmela. Destaque para Buster Williams dia 6, Dave Holland dia 7, Joshua Redman dia 13 e uma formação dirigida pelo pianis Cyrus Chestnut, Jazz At The Philarmonic Revisited, no dia 15, a encerrar mais esta edição do festival que Duarte Mendonça continua a proporcionar.


LER – A mais recente edição da revista «Fast Company» - belos artigos sobre a criatividade na China e como a Disney se reinventou graças à parceria que estabeleceu com a Apple no iPod vídeo.


BACK TO BASICS – «É flagrante e constante a insistência governamental em proibir, travar, limitar, burocratizar…» - Francisco Pinto Balsemão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:48



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2003
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D