Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O QUE SE PASSOU NESTES QUATRO ANOS?

por falcao, em 18.04.19

22259913-6196-45D1-9FF1-6ED5ABD17CC1.JPG

MEMÓRIAS DE UM CIDADÃO - De que me lembro nesta legislatura? Do roubo ainda não esclarecido das armas em Tancos; do regabofe das falsas presenças no plenário da Assembleia da República; da abundância de nomeações familiares cruzadas no círculo do poder; do triste quadro de amnésia que assola quem vai depôr a comissões parlamentares, mesmo de altos responsáveis públicos, como um ex-Governador do Banco de Portugal; de convenientes alianças parlamentares para privilegiar uma classe profissional, a dos advogados; e de mais algumas coisas que estão espalhadas pelo país político - corruptelas locais, atrasos sistemáticos, cativações fantásticas que afectam serviços públicos, falta de reforma na justiça, atraso cada vez maior nos tribunais e um fisco que não olha a meios e quer devassar a seu bel prazer a vida dos cidadãos, um Estado que obriga as pessoas e empresas a cuidados na utilização de dados privados mas que se isenta a ele próprio dessa obrigação. A legislatura é isto; o desgoverno é este. O país está desregulado, o Estado é um complicómetro.

 

SEMANADA - Os monumentos, museus e palácios sob tutela da Direção-Geral do Património Cultural registaram uma queda de 7,8% no número de visitantes, ou seja, perderam quase 400 mil pessoas em 2018; em 2018 foram detidos 113 homens e quatro mulheres por abuso sexual de crianças; há 12 concelhos sem balcões dos correios e da CGD; uma em cada cinco cirurgias no Serviço Nacional de Saúde é feita fora do prazo obrigatório; metade das empresas do PSI 20 tem ex-governantes na administração; em 2018 regularizaram-se cinco vezes mais trabalhadores imigrantes em Portugal, a maioria brasileiros; em cinco anos a Polícia Judiciária Militar abriu 36 inquéritos a furto de armas e munições que resultaram em apenas cinco acusações; em 2018 as viagens dos portugueses aumentaram 10%; a facturação do sector hoteleiro cresceu 4,4% em Fevereiro, em relação ao mesmo período do ano passado; mais de um quinto do desemprego afecta pessoas com curso superior; a taxa de crescimento da economia portuguesa acumulada ao longo desta legislatura deverá ficar cerca de 17% abaixo da previsão de um grupo de economistas que prepararam as promessas eleitorais do PS em 2015, entre os quais Mário Centeno; a despesa com investimento público também foi sempre inferior à meta traçada pelo PS na campanha eleitoral.

 

ARCO DA VELHA - Numa aldeia ribatejana com cerca de mil habitantes cerca de duas centenas receberam em dois dias 200 multas da PSP por excesso de velocidade numa zona onde o limite é de 50 kms/hora.

 

©MNAA_Paulo Alexandrino_2019.jpg

MARIA MADALENA PENITENTE - Até dia 28 ainda poderá ver no Museu Nacional de Arte Antiga este Ticiano, uma das várias versões que ele pintou de Madalena Penitente. Este que está exposto, é uma tela do Hermitage de São Petersburgo, considerada de todas a melhor – pela expressão trágica da santa e do ambiente que a envolve. Quinta-feira dia 18 é Dia Internacional dos Monumentos e Sítios e a entrada no MNAA é gratuita. Domingo de Páscoa o Museu está fechado mas ainda terá toda a próxima semana, de terça a Domingo, entre as 10 e as 18,  até esta obra ser devolvida ao Hermitage.

 

Capa Gramatica para Todos 300 dpi.jpg

UMA QUESTÃO DE GRAMÁTICA - Não sou isento de pecados mas pontapés na gramática irritam-me bastante. Às vezes olho para legendas de filmes ou informações escritas na parte inferior dos ecrãs de televisão durante os noticiários que me causam arrepios - e não são de prazer. É um pouco paradoxal que numa época onde tantas vezes as conversas são escritas - por mensagens, emails, WhatsApp - se escreva cada vez pior. O desaparecimento, na generalidade dos jornais, de revisores e copy-desks, veio piorar as coisas e creio que o ensino de português também tem culpas no cartório. O problema não vem só do ensino básico e secundário - nos últimos anos em que estive em redacções de jornais onde recebia estagiários de cursos de comunicação constatei que o seu domínio do português era muitas vezes fraco e interroguei-me como se pode ensinar alguém a comunicar sem explicar que o domínio da língua é essencial para essa actividade? Vem tudo isto a propósito de um livro agora editado pela Guerra & Paz na colecção Livros Correio da Manhã: “Gramática para Todos - o português na ponta da língua”. O seu autor é Marco Neves, professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova. Tem obra publicada nesta área: “ Doze Segredos da Língua Portuguesa”, “ A Incrível História Secreta da Língua Portuguesa” ou “Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português”, para só falar de algumas. Neste novo livro escreve-se sobre as regras do português, com capítulos de nomes sugestivos como “peças para construir palavras”, “os parafusos da gramática”,  um desafiante “como criar palavras novas” ou “como escrever frases inesquecíveis”. Há conselhos sobre como criar um texto, um repertório de dúvidas e armadilhas, uma viagem pela pontuação e os sinais e acentos. para só citar alguns casos. Este livro devia estar em cima de todas as mesas de trabalho. Poupar-se-iam muitas asneiras.

image.png

FADOS & FADO - Hoje recomendo uma heresia - um disco de Fado onde surge uma guitarra eléctrica. O disco chama-se “Um Fado Ao Contrário” e o seu autor é Pedro Moutinho, trata-se do seu sexto álbum de originais e o título vem da primeira faixa. O tema “Um Fado Ao Contrário” foi composto por Amália Muge para uma letra de Maria do Rosário Pedreira,  que é provavelmente quem melhor escreve para Fado hoje em dia. Amélia Muge também assina a letra  de dois temas – “Não Sei se a Tristeza É Triste” (um fado com música de Filipe Raposo) e “Ruas do Tempo” (com base no tradicional Fado José Marques do Amaral) - e assina a música e letra da balada “Uma Pena que Me Coube” e de um fado que evoca milongas e mornas, “Aquele Bar”. Manuela de Freitas fez parceria com o compositor (e guitarrista) Pedro de Castro, no alegre “Graça da Graça” e foi também a autora da letra de “Chego Tarde, Canto o Fado”, sobre uma rapsódia de fados da lendária dupla de irmãos Ramos – o guitarrista Casimiro e o viola Miguel, conhecidos como “Os Pinoia”. Há clássicos como, “Foi Um Bem Conhecer-te” e “Maldição”. E há uma versão da  “Tragédia da Rua das Gáveas” um original de Vitorino Salomé do álbum “Leitaria Garrett”. “Força do Mar” , o terceiro tema do álbum, é um original de Márcia, uma balada envolvente, arranjada para piano e guitarra eléctrica. A produção foi de Filipe Raposo, que tocou piano e os outros músicos são Quiné Teles (percussão), André Santos (guitarra eléctrica), Pedro Soares (viola), Daniel Pinto (baixo acústico) e Ângelo Freire (guitarra portuguesa).

IMG_3843.jpg

RELATO DE UM PRAZER - Aqui há uns anos tive uma má experiência na Mercantina, que então tinha aberto há pouco tempo em Alvalade - quer no atendimento, quer na qualidade das pizzas que eram postas nos píncaros pela respectiva propaganda. Anos mais tarde um querido amigo combinou lá um almoço e outro um jantar - o serviço estava melhor mas a pizza continuou sem me entusiasmar. Nunca mais lá pus os pés. Há pouco tempo dei pela abertura, perto do Saldanha, do Bistro 37, dos mesmos proprietários e sob a insígnia Mercantina. Com uma localização privilegiada, na esquina da Miguel Bombarda com a Avenida da República, o local dá nas vistas. Ao almoço, das duas vezes que lá fui, fiquei com a sensação de que  tinha chegado uma espécie de ladies night em plena luz do dia de senhoras já amadurecidas, que relatavam preocupações conjugais e evitavam excessos para não perderem o efeito dos ginásios de onde tinham saído pouco antes. Constatei que preferiam saladas a pastas ou qualquer vestígio de hidrato de carbono. A excepção era uma rapariga alourada e farta,  vestida executivamente, mas a arregaçar a manga para mostrar uma tatuagem nova à amiga. A meio da conversa tatuada veio a única pizza que vi servida a uma mulher e que dela motivou um comentário esclarecedor: “ai que grande”. Mas adiante, voltemos ao restaurante, confortável aliás, sobretudo na zona mais interior (embora tenha por resolver o problema habitual da reverbação do som - não percebo porque é que os arquitectos não têm mais cuidado com isto). O serviço foi bom e desta vez fugi às pizzas e dediquei-me, com êxito,  a outras experiências. Confesso que tinha ido à procura de arancini - este era de salsicha italiana em vinho tinto, envolvido no risotto panado, com compota de tomate a acompanhar. Excedeu as minhas expectativas. Noutra ocasião comprovei que o carpaccio de carne era honesto, acompanhado de rúcula, lascas de parmesão e - raridade local - alcaparras fritas e pesto. Passei nas saladas (há três e uma de espadarte marinado em citrinos chamou-me a atenção, mas a avaliar pelas mesas à volta a salada caesar era a que tinha mais saída na clientela feminina). E passei também nos risottos, embora um com amêijoas, camarões e calamares me despertasse a atenção. Das pastas só tenho a dar elogios - quer de uns bons ravioli de massa bicolor de camarão e trufa com crumble de avelã - a massa fresca saborosa e cozinhada no ponto, os aromas da trufa bem presentes e o camarão também em boa forma, a avelã curiosa. Noutro dia provei o spaghetti alla carbonara, feito como deve ser, sem natas, com gema de ovo, bacon abundante e crocante. Na mesa havia uma boa focaccia, com manteigas temperadas. O vinho a copo era uma boa escolha - Venâncio da Costa Lima, um pequeno produtor de Azeitão que sabe o que faz. Se tivesse comido um doce optaria pelo crumble de maçã e canela com gelado de baunilha e se tivesse uma certa companhia de certeza que vinha para a mesa o abacaxi marinado com limoncello e especiarias. Fiz as pazes com a Mercantina. Avenida da República 37, telefone 919 134 014.

 

DIXIT - «Marido, mulher ou filha de ministro não têm os mesmos direitos (....) É errada a ideia de que “lá por ser filho ou mulher de ministro não pode ser prejudicado”. Se “prejudicado” quer dizer não nomeado ou não ter subsídio, pode. E deve.» - António Barreto

 

BACK TO BASICS - Tacto é a habilidade de descrever os outros da forma como eles próprios se vêem - Abraham Lincoln.

 







Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.06.2019 às 11:48

Eu sou bernando silva de portugal Eu estava tão deprimido quando minha esposa me deixou outro homem depois de estarmos casados ​​por 5 anos todos porque eu tinha câncer, eu tentei pedir a ela para voltar para mim, ela recusou e disse que não tem mais sentimentos por mim depois de todo o sacrifício que eu fiz tudo porque eu a amo, ela me insulta o tempo todo ainda assim eu suporto e penso na minha vida. Tornei-me um homem triste depois que passamos juntos, depois de todo o amor que eu compartilhei no passado, eu não conseguia imaginar a vida sem ela porque meu amor por ela era inestimável para o comércio por qualquer motivo. Um dia, quando cruzei a Internet, Eu vi muitos comentários sobre o poder de curar o câncer e trazer de volta sua esposa e eu decidi tentar vê-lo entrando em contato com ele em doctorosagiede75@gmail.com ele é um bom homem e eu imediatamente respondi e expliquei para ele o que eu estava passando , ele me disse que o outro homem usou magia negra, ela então ele me deixou por ele apesar do meu carinho por ela e prometendo me ajudar a recuperar meu amante e também me ajudar Eu coloquei uma feitiçaria confusa para ele, lutando no futuro , e no menor tempo tudo decolou porque os dois sabem que ele percebeu que nunca foi endireitado por ele e em cinco dias minha esposa estava em minha casa esperando que eu voltasse do trabalho e quando ela começou a dizer que estava arrependida que ela nunca soube o que estava vindo sobre ela e th e no dia seguinte fui ao hospital para check-up e descobri que estava livre de câncer. obrigado Drosagide, agora estou feliz com minha família e tudo está indo bem agora. contato médico osagiede para qualquer período de vingança e soletrar ex costas ou cura para qualquer doença como câncer e HIV através de doctorosagiede75@gmail.com boa sorte

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D