Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


FUTURO - O Facebook foi lançado em Fevereiro de 2004, há 12 anos portanto. O seu crescimento foi exponencial e hoje o número de pessoas que o utilizam regularmente ultrapassa 1,6 mil milhões em todo o mundo. Em Portugal os utilizadores regulares ascendem a 5,7 milhões. Hoje em dia o universo do Facebook inclui o sistema de mensagens Messenger, mas também o WhatsApp e o Instagram. Em poucos anos o Facebook tornou-se no maior concorrente, em termos de números de utilizadores, mas também de volume de negócios, do Google. A nível global, o tempo médio passado no Facebook por cada utilizador e por mês é de 6,3 horas. Diariamente,  mil milhões de pessoas acedem ao Facebook por um período médio de 20 minutos. Os números são impressionantes. Na verdade a grande diferença entre o Google e o Facebook é que o Google tem muita informação sobre o mundo, mas o Facebook tem muita informação sobre cada pessoa que o utiliza. Há uns anos atrás, não muitos, quando estávamos em casa, toda a gente na sala olhava para um único ecrã - o da televisão. Hoje em dia, em muitos casos, cada pessoa tem o seu próprio ecrã. O mundo mudou e o Facebook é parte desta mudança. Esta semana Mark Zuckerberg anunciou os seus planos para os próximos dez anos. O resumo é simples: proporcionar internet em regiões remotas graças a uma série de satélites e aviões emissores (que funcionarão a energia solar) e garantir que a conectividade seja uma realidade universal e gratuita; desenvolver a relação dos sistemas de messaging com o comércio electrónico; utilizar a inteligência artificial para escolher conteúdos adequados aos gostos de cada utilizador; fomentar a emissão de videos em directo no Facebook; explorar o mundo da realidade aumentada; desenvolver as possibilidades da internet nos campos da saúde e educação. E isto é apenas o começo - o Facebook está a entrar no campo do hardware, como o o Gear VR ou o Oculus Rift, ambos dispositivos de realidade virtual que vão alterar a forma de produzir e consumir entretenimento. Zuckerberg diz que a sua missão é ligar as pessoas, garantir que elas possam comunicar umas com as outras em qualquer ponto e em qualquer circunstância - e isso proporciona-lhe imensa informação sobre cada utilizador. A revista The Economist colocou esta semana Mark Zuckerberg na sua capa, e dedicou-lhe o editorial. O título? - Imperial Ambitions. Se quiser conhecer os planos de Zuckerberg veja aqui o roadmap que ele desenhou para os próximos dez anos numa conferência do Facebook para programadores, que decorreu esta semana - https://developers.facebook.com/videos/f8-2016/keynote/

 

IMG_4300.JPG

SEMANADA - O Banco de Portugal vai inaugurar o seu Museu do Dinheiro na próxima quarta-feira; esta semana foi anunciado que o Banco de Portugal vai ter dois novos administradores - uma ex eurodeputada e um ex administrador do banco mau do BES; no espaço de uma semana saíram três membros do Governo - o Ministro e o Secretário de Estado da Cultura e também o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, este último em “profundo desacordo” com o Ministro da Educação; em Fevereiro os depósitos a prazo captaram 6,5 mil  milhões de euros em novas aplicações, o valor mensal mais elevado do último ano; registou-se um aumento do crédito à habitação de cerca de 80% nos ultimos 12 meses; segundo o Observatório de Economia e Gestão da Fraude a economia paralela daria para pagar cinco orçamentos anuais da saúde; segundo o FMI Portugal vai ter um dos crescimentos mais fracos do mundo; o número de empresas exportadoras baixou no ano passado pela primeira vez desde 2009; Angola desceu de quarto para sexto cliente de produtos portugueses; a TAP reportou 99 milhões de euros de prejuízo em 2015, o pior resultado desde 2008; o Metropolitano chegou à Reboleira seis anos depois da data prevista inicialmente para a conclusão das obras; as portuguesas internadas com anorexia têm em média 14 anos e ficam internadas 51 dias no hospital; Portugal não forneceu dados que permitam que justiça nacional seja comparada com a do resto da União Europeia; o Ministro da Defesa diz que o Chefe de Estado Maior do Exército lhe desobedeceu; Vasco Lourenço veio pedir a cabeça do Ministro da Defesa.


ARCO DA VELHA - Oito funcionários do Fisco foram detidos com suspeita de corrupção e o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos não achou melhor que vir avisar logo de seguida que os cortes salariais aumentaram o risco de corrupção na Autoridade Tributária.

 

livro volta ao mundo.png

FOLHEAR - O primeiro livro de viagens que li foi “A Volta Ao Mundo Em Oitenta Dias”, de Júlio Verne. Li-o com uns oito anos  e senti uma emoção igual à que anos mais tarde senti com o primeiro Indiana Jones. Com Júlio Verne descobri depois o fundo do mar  em “Vinte Mil Léguas Submarinas” e percebi como o planeta escondia segredos fascinantes em “Viagem Ao Centro da Terra”. Estes três livros foram escritos entre 1864 e 1872 e eu li-os, numeros redondos, cem anos depois. Com os dois últimos e “Da Terra à Lua” descobri os encantos da ficção científica, mas foi mesmo com “A Volta Ao Mundo Em Oitenta Dias” que descobri o prazer da literatura de viagens e aventuras. O livro, baseado numa aposta de um nobre inglês, Phileas Fogg, percorre países e continentes e muitas vezes relata episódios que se podiam passar mesmo hoje, quase século e meio depois. Em boa hora decidiu a editora “Guerra & Paz” editar textos clássicos e este é um deles. Esta edição inclui as 58 ilustrações originais da primera edição,  da autoria de Alphonse de Neuville e Léon Benett, e ainda  o mapa da viagem de circum-navegação. A tradução, exemplar, é de Helder Guégués - e fiquem sabendo que Júlio Verne é o autor mais traduzido em todo o mundo depois de Agatha Christie e as suas obras são, no seu conjunto, as mais publicadas, logo depois da Bíblia.

 

image (15).png

VER - Steve McCurry é um dos grandes fotógrafos da prestigiada agência Magnum, e em Lisboa, na melhor espaço de exposição e venda de fotografia que temos, a Barbado Gallery (Rua Ferreira Borges 109) está uma magnífica exposição sua sobre a Índia, país que ele já visitou cerca de 80 vezes nas últimas três décadas. É muito curioso que em cerca de seis meses que leva de vida, a Barbado Gallery já tenha mostrado dois dos grandes nomes da Magnum, a agência que contou entre os seus fundadores Robert Capa e Henri Cartier-Bresson. As fotografias de McCurry são poderososas - como a da menina afegã que em 1985 fez a capa da National Geographic, revista para a qual trabalha frequentemente. A imagem que aqui reproduzimos foi feita em Bombaim - mãe e filha coladas ao vidro de um carro que passava. McCurry tem um olhar especial, quase sem tempo definido, sobre aquilo que o rodeia e é isso que faz o seu encanto. Muitas das fotografias foram feitas na década de 80 e 90, mas não perderam razão de ser. São clássicos. Do género que a Barbado nos proporciona poder ver. Todas as informações em www.barbadogallery.com.

 

image (16).png

OUVIR - Canções que são como conversas de café parecem uma raridade em Portugal, nos anos mais recentes, sobretudo se escritas e cantadas em português. Felizmente os Capitão Fausto existem e praticam o género. Cada canção é como se fosse uma história, um episódio de vida. Os Capitão Fausto praticam música pop da melhor estirpe, bem imaginada, bem tocada e bem cantada. Desenganem-se aqueles que pensam que isto é coisa fácil - fazer uma boa canção pop é do mais difícil que há. Um álbum pop tem sempre telhados de vidro maiores que um álbum que se pretenda de nicho. Aos nichos marginais tudo é permitido, a começar pela incompreensibilidade e a terminar na inaudibilidade. Portanto a vida é-lhes sempre mais fácil. Difícil mesmo é criar canções originais que façam sentido nas palavras e na música e que fiquem no ouvindo, apetecendo trautear. Este é o terceiro disco dos Capitão Fausto e eu gosto de canções como “Semana Em Semana”, “Corazon”, “Dias Contados” ou a minha preferida, “Alvalade Chama Por Mim”. Resumo - Têm Os Dias Contados é dos melhores discos portugueses dos últimos tempos. CD Sony.

 

image (17).png

PROVAR -  Gosto muito de conservas e ultimamente tenho andado a explorar as variedades de cavala que estão no mercado. A cavala é um peixe injustamente subvalorizado, mas é um dos que resulta melhor em conserva, talvez até melhor que muita lata de sardinha que por aí anda. Esta semana provei uma variedade que ainda não conhecia e fiquei fã - filetes de cavala com temperos da marca Tricana - cenoura, cebola, louro, especiarias como cravinho e pimenta. Os filetes são muito bem cortados e funcionam às mil maravilhas  com uma massa como farfalle (da Cecco,recomendo), que rapidamente ganha o sabor envolvente. Vai à perfeição com um Marquês de Borba branco da colheita de 2015 - feito a partir das castas Arinto, Atão Vaz e Viognier - um vinho fresco ideal para estas ocasiões. Jantar simples, prazer garantido.



DIXIT - “Liderar o PS foi a melhor escola para gerir conflitos” - António Guterres na sua audição como candidato a Secretário Geral da ONU.


GOSTO - A RTP1 vai exibir o documentário "Amadeo: o último segredo da arte moderna", de Christophe Fonseca. a 20 de Abril, no dia da inauguração da exposição no Grand Palais.


NÃO GOSTO - Com António Costa ficou estabelecido que o critério para a contratação de assessores para processos negocias complexos passou a ser a amizade pessoal com o Primeiro Ministro.


BACK TO BASICS - “A grande questão não é saber se conseguimos que as máquinas pensem; o principal problema é conseguir que os seres humanos pensem” - B.F. Skinner

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D